Século XXI - Professor Conectado e On-line

Este meu artigo é um aperitivo para uma velha discussão, sob um novo enfoque, em uma realidade estranhamente surreal - ou talvez a palavra certa fosse absolutamente virtual.

Semanas atrás, em um dos maiores e mais sérios jornais de circulação nacional,  deparei-me com um assunto deveras interessante: professores se predispondo a entrar com ações na justiça contra o estado, com o objetivo de receberem adicional em seus salários em função de que trabalham fora do horário normal, enquanto estão conectados e on-line com alunos através da WEB. Sem entrar no mérito da questão é, no mínimo, intrigante abrir uma discussão sobre tal tema.

Sou um profissional de educação que trabalha com tecnologia, direta ou indiretamente, desde meados dos anos 1980. Sou instrutor de informática da maior instituição de ensino profissionalizante do país e convivo diariamente com profissionais da rede de educação pública do Distrito Federal, que vem se firmando, cada vez mais rápido, com um dos estados - neste caso distrito - que podem ser vistos como uma ilha de prosperidade nos investimentos em informática, se compararmos à situação de muitos outros estados da federação.

Tendo exposto a situação "bem situada para observação" onde me encontro, peço, muito humildemente, licença para listar algumas considerações e suas respectivas explicações acerca do assunto em questão. Bom esclarecer que não há aqui qualquer juízo de valor e que a idéia de trazer o assunto à pauta deste ambiente é somente tentar contribuir positivamente, jogando luz adicional sobre tema tão nebuloso, afinal, avanço tecnológico nunca será demais para uma área como educação, quanto mais se gera retorno em desenvolvimento, produtividade, mais capital intelectual e, se possível, renda extra.

Imagine um professor que tenha acesso à tecnologia em sua sala de aula e também fora dela. Ele terá  sempre duas opções para desenvolver projetos. Na primeira destas opções, que segue a linha mais tradicional, o professor mantém um "vínculo" com seus alunos somente naquele período em que estiver em sala ou na escola. Acabou a aula, esgota-se o vínculo, que será renovado somente na próxima aula. Não existe comunicação entre as partes de qualquer forma nos fins de semana, feriados ou recessos. A outra opção, que já vigora estável em algumas regiões de países desenvolvidos e em desenvolvimento, incluindo o nosso, com absoluto sucesso, torna o "vínculo" algo como permanente. O professor e os alunos comunicam-se através de e-mail, dividem assuntos em grupos de discussão privados, criam e abastecem blogs com informações novas a cada dia, fazem do twitter uma ferramenta indispensável para informações de campo que precisam chegar rapidamente à WEB e até participam de vídeo-conferências utilizando-se de seus PC's domésticos com WebCam.

Os resultados do método tradicional são conhecidos e muitos mantém a excelência justamente por causa das aulas presenciais intensas. Já no caso do método "novo", o que vemos é que ajustar-se é essencial para manter a racionalidade das informações e o mínimo de privacidade. Quando você se propõe a manter um vínculo extra sala de aula com seus alunos é importante que tenha consciência da necessidade de equilíbrio entre a relação presencial e aquela vivida à distância, de forma que valha a pena investir neste formato de aula com acompanhamento on-line, durante a semana inteira. Importante relembrar que tudo que se faz no mundo virtual ficará para a posteridade e todos os usuários do mundo terão acesso. Quem melhor se adaptar estará trabalhando daqui a alguns anos com tecnologia em tempo integral e ganhando dinheiro com isso, sem precisar enfrentar engarrafamentos ou um relógio de ponto.

Com o advento da socialização do uso de notebooks e a melhoria dos recursos de banda larga a idéia de conectividade e comunicação on-line, neste caso específico, se resume, basicamente, ao seguinte: a) o e-mail é, cada vez mais, visto como documento com poder de comprovação frente às leis e deve ser usado como meio de comunicação direta e privada entre aluno e professor. Deve-se evitar participar de correntes e cada novo e-mail deve levar uma parte do anterior em sua configuração, de forma a manter a linha do raciocínio. Sempre inserir local, data e hora do envio, especificando claramente o destinatário e o assunto, além de manter uma linguagem de comunicação respeitosa e de acordo com a etiqueta da internet (netiqueta); b) grupo de discussão é um ambiente idêntico a uma sala, onde somente determinadas pessoas serão autorizadas a entrar e participar. Cada grupo que é criado tem um administrador e um moderador (pessoa que avalia o conteúdo dos textos postados e decide seu destino), que podem ser a mesma pessoa, caso se deseje assim. É necessária senha para o acesso e os textos postados alí serão vistos por todos do grupo, em qualquer lugar do mundo e a qualquer hora. É uma área excelente para disseminar idéias e abrir debates com outros membros do grupo, sem que pessoas de fora precisem saber. Você deixa o assunto lá e os membros podem fazer o acesso e leitura a qualquer tempo; c) o Facebook é o Orkut do resto do mundo, porque o Brasil é onde mais se usa o orkut. Facebook é usado em quase todos os países e a moderação é mais rígida que no orkut, o que faz do ambiente um lugar mais "sério" e com menos exageros. Criar novos grupos de amigos aí é uma idéia bem pensada que pode render frutos promissores no campo profissional e educacional, além de gerar receita para seus usuários mais ativos. Esta é uma rede que possui algo em torno de 140 milhões de usuários pelo mundo, segundo analistas; d) a função principal do twitter é fazer o link entre a internet, os computadores e os celulares, indo e voltando. Uma ferramenta como esta em uma pesquisa de campo é essencial para manter sua comunidade bem abastecida de informação fresca, a partir de um torpedo enviado do seu celular. Você pode enviar mensagens para sua página na internet de qualquer lugar do mundo, a qualquer momento. Se estou em uma feira de informática e desejo informar em tempo real o que se passa naquela ocasião, vou mandando torpedos pelo meu twitter e automaticamente eles vão sendo expostos nas páginas que mantenho na WEB; e) Um recurso muito útil que agiliza ações é o VoIP. Este recurso permite que dois usuários, utilizando computadores com microfone e fone de ouvido, conversem em tempo real, gastando nada ou quase nada, pelo tempo que quiserem, estando os dois onde estiverem no mundo. Se o professor mantiver um programa como este instalado o aluno pode se comunicar a qualquer tempo e ficar conversando sobre dúvidas mais urgentes pelo tempo que se fizer necessário. A qualidade desse tipo de comunicação vem melhorando sensivelmente e fazer vídeo conferência vem se tornando mais simples em velocidades espantosas; f)  o celular, o notebook, a TV, o GPS e os recursos da internet estão se aproximando e serão um só muito em breve, em um aparelho pouco maior que a palma da mão, em um mundo virtual de computação em nuvem, que irá substituir quase tudo o que conhecemos hoje. Enquanto essa inovação não chega, é necessário que saibamos dar ao serviço de mensagem por celular o seu valor devido. Se um aluno meu estiver em uma cidade qualquer do Brasil e tiver uma idéia genial para me enviar ou uma dúvida em situação urgente e crítica que precise de resposta, uma mensagem bem escrita e em poucas linhas pode resolver tudo. Se o celular estiver desligado ou fora de área a mensagem será recebida logo que voltar com o aparelho a uma área coberta ou logo que religá-lo. E se a situação for em caminho inverso? o resultado é o mesmo.

Resumindo tudo eu diria que a grande vantagem embutida aí é que todas as vezes que retornar para o convívio em sala de aula será desnecessário ficar me reconectando com o ponto de raciocínio do assunto da última aula ou ficar tentando trazer o aluno para o ponto em que paramos. O que leva muito tempo, dependendo da situação. A aula pode transcorrer sem sobressaltos desde o início do horário e tudo o que não for possível fazer durante a aula pode ir sendo digerido no decorrer dos dias seguintes. Você vai ficar tendo muito contato on-line e a compensação é que irá se desgastar infinitamente menos em sala de aula para que seus alunos tenham um raciocínio bem próximo do seu no assunto daquele dia.

IMPORTANTE: Antes de implementar uma idéia como esta é essencial pesar muito os prós e contras, ver as regras que regem a empresa onde você trabalha, as implicações em função de possível limitação do aluno, ou sua própria, com informática e quais os ganhos em qualidade e produtividade que poderão advir em médio e longo prazos com o projeto em execução. Cada profissional deve conhecer seus limites e isso merece todo o respeito. Agora, limites foram feitos para serem vencidos.

Boa sorte e sucesso!!!

Conhecimento é poder!

Luiz Loiola

Comentários

Postagens mais visitadas