Pular para o conteúdo principal

Primeiro artigo do debate sobre O Que Pensam os Homens

OS HOMENS SÃO COMO ELÁSTICOS

Os homens são como elásticos. Quando se retiram, só podem esticar até uma certa distância antes de saltar de volta. Um elástico é uma metáfora perfeita para entender o ciclo masculino de intimidade. Esse ciclo envolve aproximação, afastamento e, de novo, aproximação.
A maioria das mulheres fica surpresa ao se dar conta de que, mesmo quando um homem ama uma mulher, periodicamente ele precisa se afastar antes de poder se aproximar. Os homens instintivamente sentem esse impulso de se afastarem. Não é uma decisão ou uma escolha. Simplesmente acontece. Não é nem culpa dele nem dela. É um ciclo natural.
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Quando um homem ama uma mulher, periodicamente ele precisa se afastar antes de poder se aproximar.
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

As mulheres interpretam mal o afastamento de um homem porque uma mulher geralmente se afasta por razões diferentes. Ela se retrai quando não confia nele para entender seus sentimentos, quando foi machucada e tem medo de ser machucada de novo, ou quando ele fez alguma coisa errada e lhe desapontou.
  Certamente um homem pode se afastar pelos mesmos motivos, mas ele também se afastará mesmo que ela não tenha feito nada de errado. Ele pode amá- la e confiar nela, e de repente começar a se afastar. Como um elástico esticado, ele vai se distanciar e então voltar por si só.
Um homem se afasta para satisfazer sua necessidade de independência e autonomia. Quando ele tiver se esticado para longe completamente, então instintivamente voltará. Quando  ele estiver completamente separado, então repentinamente sentirá de novo sua necessidade de amor e intimidade. Automaticamente ele ficará mais motivado a dar o seu amor e a receber o amor de que precisa. Quando um homem volta, ele retoma o relacionamento no mesmo grau de intimidade em que estava antes de se esticar para longe. Ele não sente nenhuma necessidade de um período de readaptação.

Texto extraído do livro Homens são de Marte, Mulheres são de Vênus
de John Gray
Nascido em 28 de dezembro de 1951, em Houston, Texas, John Gray ficou mundialmente conhecido em 1992, quando Homens são de Marte, mulheres são de Vênus (publicado pela Rocco) foi lançado. O best-seller permaneceu por 44 semanas na lista dos mais vendidos, segundo o The New York Times. De forma bastante interessante, o livro mostra como homens e mulheres podem melhorar seus relacionamentos. O título contabiliza mais de 15 milhões de exemplares vendidos no mundo inteiro e foi traduzido para 40 idiomas. Terapeuta e organizador de cursos e seminários, Gray dedica-se há mais de 20 anos ao estudo sobre relacionamentos de casais. Atualmente, o autor vive com a mulher e os três filhos na Califórnia

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Definitivamente, esse sou eu. Gosto muito desse texto.

PROFESSOR 3.0

A adoção de TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS traz muitos benefícios para nossa atividade docente, alem de proporcionar uma enorme VALORIZAÇÃO AO EDUCADOR que ama o que faz.
PROFESSOR 3.0
Educação de Sucesso

Brasil - Um país lindo, rico, de natureza exuberante e dimensões continentais

Somos considerados, por quem entende, um dos melhores e mais promissores países do mundo, mas a imagem que se prega é que somos apenas o país do futebol, no que discordo completamente. Esporte é sempre algo fantástico, que está virando apenas negócio. Temos um povo ordeiro, pacífico e trabalhador, mas que não tem acesso a uma educação de qualidade. Temos falhas enormes em todas as etapas do processo e os resultados são o que se vê atualmente nos atos desesperados de trabalhadores, estudantes e até empresários, que não conseguem entender como a falta de organização e planejamento podem ser tão grandes às vésperas de uma copa do mundo, se pagamos tantos impostos e nos esforçamos tanto. Os erros são tão absurdos que os investimentos prioritários são sempre em presídios, para encarcerar jovens e adolescentes que não puderam estudar porque não havia escolas, que não puderam trabalhar porque não havia empregos suficientes e que acabam presos por pequenos delitos, enquanto a impunidade se es…