quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Mais previsões em TI para 2012


Pesquisa da consultoria mostra as tendências em tecnologia que estarão nas agendas das empresas nos próximos quatro anos.
Baseado nos mais de 100 estudos que realizou durante o ano de 2007, o Gartner fez um levantamento sobre dez tendências em TI que estarão nas agendas das empresas nos próximos quatro anos. O destaque é a importância crescente da TI verde, que apareceu em três dos dez tópicos destacados pela empresa. Acompanhe a seguir:
1. Mobilidade
Em 2012, 50% dos profissionais vão deixar seus notebooks em casa e vão carregar outros tipos de dispositivos, mais leves, menores e tão eficientes quanto os notebooks. Esses dispositivos compactos terão preços inferiores a 400 dólares e serão munidos de aplicações web.
2. Open Source
Em 2012, 80% de todos os softwares comerciais vão incluir elementos de software aberto. Muitas plataformas de software aberto são maduras e estáveis e são uma excelente oportunidade para fornecedores baixarem seus custos e aumentarem a possibilidade de obtenção de retorno sobre o investimento.
3. SaaS
Em 2012, pelo menos um terço das aplicações de negócios serão contratadas no modelo serviço, no lugar de licença de software. No modelo SaaS (software as a service), a companhia paga na proporção em que usa o programa. Essa é uma diferença fundamental em relação ao preço fixo de uma licença. Com o suporte de empresas como Oracle, SAP e Microsoft e de líderes da internet, como Google e Amazon, o modelo SaaS de desenvolvimento e distribuição vai crescer muito nos próximos cinco anos.
4. Hardware como serviço
Em 2011, os pioneiros em adoção de novas tecnologias vão deixar de gastar com equipamentos e, em vez disso, comprar 40% da sua infra-estrutura de TI como serviço. A banda larga de alta velocidade vai permitir colocar a infra-estrutura em outros sites, com a mesma rapidez de resposta. As empresas acreditam que quando a arquitetura
orientada a serviços se tornar comum, o cloud computing vai decolar, desvencilhando as aplicações de uma infra-estrutura específica. Essa tendência de aceitar a comoditização da infra-estrutura pode acabar com a tradicional dependência em relação a um fornecedor e baixar os custos da troca de fornecedores.
5. TI Verde I
Até 2009, dois dos seis pré-requisitos de compras em TI serão referentes a produtos e serviços que respeitem o meio ambiente, com menor consumo de energia. Isso será realidade para um terço das empresas de TI. A prioridade será economia de energia. Inicialmente, a motivação virá do desejo de conter gastos.
6. TI Verde II
Até 2010, 75% das empresas terão como pré-requisito de compra de hardware certificado de emissão de carbono e uso otimizado de energia. A maior parte dos fornecedores de tecnologia não tem conhecimento algum sobre os níveis de emissão de CO2 ou o consumo de energia na produção de seus equipamentos. Algumas empresas começaram a pedir esse tipo de informação de seus fornecedores em 2007. A maioria das empresas deve passar a usar essas informações como diferencial a partir de 2009.
7. TI Verde III
Até 2010, os maiores fornecedores de tecnologia vão precisar provar suas credenciais verdes por um processo de auditoria. Essas grandes empresas vão ajudar a forjar a primeira onda de iniciativas e políticas ecologicamente responsáveis. Essas iniciativas vão muito além das de minimizar a emissão direta de carbono ou exigir que seus fornecedores estejam em dia com os requisitos ecológicos de suas regiões de origem.
8. O usuário é quem manda
Em 2010, as preferências dos usuários finais vai determinar quase metade das compras de TI das empresas. Em 2008, os fornecedores de TI já começam a incorporar a preocupação do usuário final em seus planejamentos e em suas análises de risco.
9. Apple sobe
Em 2011, a Apple vai dobrar seu market share em computação nos Estados Unidos e no oeste europeu. Esse cenário será resultado da estratégia da empresa em investir em integração de softwares, facilidade de uso, flexibilidade e integração entre múltiplos dispositivos como iPod e iMac.
10. Impressoras 3D
Durante 2011, o número de impressoras 3D em residências e empresas vai ser consolidado. A tecnologia possibilita que usuários enviem um documento com um desenho em 3D para uma impressora capaz de transferir as formas do desenho sobre um bloco de resina. Um fabricante pode fazer modelos em escala de novos desenhos de produtos com rapidez e com custos baixos.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

17 previsões para 2012 em tecnologia


17 previsões para 2012 em tecnologia

Como acontece todos os anos, os principais oráculos da tecnologia começam a divulgar suas previsões para 2012. A IDC soltou uma lista há alguns dias e o Gartner Group liberou outra hoje. Ambas são baseadas em análises do mercado elaboradas pelos especialistas das respectivas empresas. Confira dez tendências em tecnologia feitas por elas para 2012 e os próximos anos.
IDC
IDC (International Data Corporation), empresa líder em inteligência de mercado, consultoria e conferências nos segmentos de Tecnologia da Informação e Telecomunicações, utiliza sua extensa base de conhecimento sobre o mercado, provedores e consumidores para auxiliar seus clientes no endereçamento de questões estratégicas relativas à oferta e ao uso de soluções tecnológicas. A IDC possui mais de mil analistas, distribuídos em 110 países, e há mais de 44 anos provê informação global, regional e local sobre tecnologias, oportunidades e tendências. A IDC é subsidiária da IDG, líder mundial em mídia de tecnologia. Para mais informações sobre a IDC visite www.idc.com.   
No Brasil, a IDC acompanha o mercado desde 1990, tendo se consolidado como uma importante aliada na contínua busca do sucesso dos negócios das empresas.

1 A TI não perde o ritmo
A IDC prevê que, em 2012, o mercado mundial de tecnologia da informação vai movimentar 7% mais dinheiro que em 2011. O crescimento previsto é similar ao deste ano, estimado em 6,9%.
2 A China ultrapassa o Japão
Do total que será investido em TI no mundo, 28% serão gastos nos países ditos emergentes. E a China deve ultrapassar o Japão em gastos com TI.
3 Tablets conquistam as empresas
Até 2016, pelo menos metade dos usuários de e-mail empresarial vão ler e escrever suas mensagens num tablet ou outro dispositivo móvel, diz o Gartner.
4 Os aplicativos saem do PC
O Gartner prevê que, até 2015, os projetos de desenvolvimento de aplicações para smartphones e tablets vão ser quatro vezes mais numerosos que os projetos de aplicativos para PCs.
5 O Kindle Fire ganha espaço
Para a IDC, o Kindle Fire, da Amazon, vai conquistar 20% do mercado de tablets em 2012. É um número notável para uma empresa que acabou de chegar a esse mercado, onde já existem líderes consolidados como a Samsung e, claro, a Apple.
6 O mundo móvel entra em guerra
Na análise da IDC, 2012 será um ano decisivo na batalha dos sistemas móveis. O Android deve continuar na liderança, seguido pelo iOS. E o ano será crucial para Microsoft, RIM e HP, que deve voltar à disputa.
7 A Microsoft pode comprar a Netflix
Para a IDC, o sucesso do Windows 8 nos tablets é crucial para a Microsoft. Mas isso depende de a empresa comprar ou fazer uma aliança com um provedor de conteúdo na nuvem, como a Netflix.
8 O dinheiro vai para a nuvem
Para a IDC, a computação em nuvem vai crescer quatro vezes mais rapidamente que o mercado de TI em geral. Em 2012, os serviços na nuvem devem movimentar mais de 36 bilhões de dólares. Esse mercado será disputado por Amazon, Google, IBM, Microsoft, Oracle, Salesforce.com, VMware e outras.
9 Os aplicativos também vão à nuvem
A IDC vê uma migração em massa rumo à computação em nuvem em 2012. Mais de 80% dos novos aplicativos corporativos serão voltados para a nuvem. Das aplicações já existentes, 2,5% serão portadas para a nuvem.
10 A segurança preocupa
Nas contas do Gartner, no final de 2016, mais de 50% das mil maiores companhias do mundo vão armazenar dados confidenciais dos clientes em serviços terceirizados de computação em nuvem. Isso deve aumentar as preocupações com a segurança. 40% das empresas vão exigir testes de segurança independentes ao contratar esses serviços.
11 O crime cresce
Até 2016, o impacto financeiro dos crimes digitais vai aumentar 10% ao ano, diz o Gartner. A razão será a descoberta de novas falhas de segurança nos sistemas.
12 A energia encarece os serviços
Até 2015, os preços de 80% dos serviços na nuvem vão incluir uma sobretaxa global de energia, prevê o Gartner.
13 Carros e televisores entram na internet
O número de aparelhos eletrônicos de consumo conectados à internet vai superar o de computadores em 2012. A conta, da IDC, inclui desde sistemas a bordo de automóveis até televisores e outros produtos de entretenimento doméstico.
14 A montanha de dados cresce
O volume de dados digitais no planeta vai crescer 48% em 2012, atingindo 2,7 zettabytes (cerca de 2,7 sextilhões de bytes) na estimativa da IDC. Para 2015, o volume previsto é 8 zettabytes.
15 Big data é desafio
A análise de grandes volumes de dados, conhecida como big data, estará no radar das empresas em 2012. Mas, até 2015, só 15% das maiores companhias vão conseguir explorar essa tecnologia para obter vantagem competitiva, diz o Gartner.
16 A Amazon chega à maioridade
A Amazon vai entrar para o clube das empresas com faturamento superior a 1 bilhão de dólares em TI, diz a IDC.
17 A bolha estoura
Para o Gartner, há uma bolha de investimentos em redes sociais e ela vai explodir em 2013. Em 2014, será a vez das companhias que desenvolvem aplicativos sociais para empresas, área onde os especialistas veem outra bolha sendo inflada.

Folga off-line garantida?

Fonte:  http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/eu-estudante/tf_carreira/2017/09/10/tf_carreira_interna,624717/folga-off-line-garan...